sexta-feira, 13 de janeiro de 2012



"Velhice é todos os dias ir despedindo um pouco coisas que inda nos tocam as paredes do coração."
Ondjaki, A confissão do acendedor de candeeiros (palavras para Antoine de Saint-Exupéry e para o Principezinho), in E se amanhã o medo
(E o quadro é Noite Estrelada, de Van Gogh)

1 comentário:

  1. Concordo com você sobre as forças atuais dos clássicos!! É incrível como a gente lê que: "tal clássico foi considerado péssimo na época" e hoje é "leitura fundamental"! Dos portugueses, como citei no post, Pessoa é o que eu mais amo. Também gosto de Camões. Mas saindo do âmbito poesia, eu nunca li nada de nenhum escritor português. Mas já tenho alguns minha lista, tanto Eça, quanto Saramago, mais "atual" :) Já os internacionais...li vários, já. E como citou russos, até agora só li Tolstói, mas também tenho outros para ler na minha lista!

    E como eu também tenho "dificuldades" para ler clássicos E contemporâneos, estabeleci uma ordem: leio sempre um clássico, e um contemporâneo, um clássico e um contemporâneo...e até agora tem dado muito certo! :)

    - e belíssima imagem E excerto :)

    ResponderEliminar