segunda-feira, 14 de maio de 2012

Em excursão

Cena de Vais conhecer o homem dos teus sonhos (no original, You will meet a tall dark stranger)

     Algumas pessoas fazem excursões à praia. Outras aos centros comerciais. Eu faço excursões aos alfarrabistas, um hábito que me foi transmitido pelo meu pai. Tenho vantagens evidentes sobre os outros tipos de excursionistas. Em primeiro lugar, não estou dependente de caprichos meteorológicos. Além disso, não apanho magotes de gente a espreitar as mesmas prateleiras que eu.
Ainda assim, o sucesso das minhas excursões está dependente de um conjunto de cautelas. Desde logo, calçado confortável. A maioria dos alfarrabistas instala-se na parte antiga das cidades. A Baixa lisboeta, por exemplo, não se compadece com saltos altos.
Por outro lado, para que a excursão corra bem, há que cultivar duas características fundamentais, a paciência e uma certa abertura de espírito.
A procura de um título concreto está muitas vezes na minha mente (o único desporto que pratico é o book hunting, como lhe chamam os ingleses). Na adolescência, levei meses a recolher como tesouros os Irmãos Karamazov e O idiota de Dostoievski, o Orgulho e Preconceito, de Jane Austen e A mulher de Trinta Anos, de Balzac. Hoje, partes preciosas da minha biblioteca.
Agora, por exemplo, ando a ver se encontro uma tradução de A passage do India do E.M. Foster e outra de A Bela do Senhor, de Albert Cohen. Sem sucesso, até ao momento. Daí a segunda qualidade a cultivar, a abertura de espírito. Enquanto não encontro aquele título especial, deixo-me surpreender por obras que não conheço. Como A tempestade de Ferreira de Castro ou a Ressurreição de Machado de Assis. Ou então encontro títulos improváveis como A arte de viver do intelectual do Ignace Lepp ou o sempre útil Como se adquire energia – Educação do espírito em geral e therapeutica das doenças da vontade. Introdução completa á forma de adquirir energia e actividade, vertida para portuguez pelo Dr. Amilcar de Sousa, médico, já em 3ª edição em 1921.
O que ainda não encontrei em nenhum alfarrabista foi o tal tall dark stranger. Mas tendo em atenção o modo como termina a história contada pelo Woody Allen no filme homónimo, é certamente pelo melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário