quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A estante dos outros (I)

      

A estante de F. , por ela própria, com a ajuda de J.

      

           Um dos grandes prazeres dos leitores é, não apenas ler, mas também trocar impressões com os que partilham a sua paixão, sobre livros. É essa, aliás, a lógica deste blogue. Por isso mesmo, pedi a alguns amigos que me respondessem a um pequeno inquérito, subordinado precisamente … à leitura e aos livros. Esta rubrica vai chamar-se A estante dos outros.

            A primeira convidada é F.. Minha amiga há vários anos, é uma leitora curiosa, original e sem preconceitos, graças a quem tenho descoberto vários autores.

            Obrigada pela disponibilidade F.!

 

       1.   Qual é a tua primeira recordação literária?

       Os contos dos Irmãos Grimm e de Perrault, em especial o do Capuchinho Vermelho que fez-me, desde muito cedo, suspeitar dos lobos maus.

       2. Indica três livros que te tenham marcado e porquê.

   

   - Crime e Castigo, de  Fiódor Dostoiévski pelas questões suscitadas, particularmente, a da motivação subjacente a toda a actuação; do determinismo "versus" libre arbítrio; da moral e da justiça; e da culpa como derradeira redentora;

 

     - O Último Dia De Um Condenado, de Vítor Hugo. A descrição opressora einsuportável a que o escritor procede do último dia da vida de umhomem condenado à pena capital fez-me reflectir, e ainda hoje faz, na necessidade comunitária das reacções penais e proporcionalidade das mesmas e como equacioná-las, sempre, a uma luz humanista. Por este motivo tornou-se um livro determinante na minha formação humanista e profissional.

 

    - As Memórias de Adriano, de Marguerite Yourcenar: por me ter transportado ao tempo de Adriano que, no fundo, poderá ser qualquer um de nós que facilmente se reverá em pensamentos do protagonista. Estelivro não me marcou, marca-me constantemente pois sempre que o releio descubro novos temas de reflexão e apercebo-me das mutações no meu pensamento pessoal pois a cada leitura relaciono-me de modo distinto com aquilo que leio. As releituras que faço são fruto das experiências que vou vivenciando, por mim própria ou como simples observadora, e espelho delas.

 

  3. Tens um hábito ou ritual de leitura?
             Prefiro ler em silêncio e reclinada e o uso de óculos para ler é imperativo mas não penso que se tratem propriamente de hábitos ou rituais.

           4. Qual o livro que não lerias nem que te pagassem o teu peso em ouro?

           Nenhum.

           5. Se tivesses três meses de folga, sem interrupções ou problemas de qualquer espécie, que livro (s) escolherias para ler?

     A Montanha Mágica e o Doutor Fausto, de Thomas Mann;  Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust; e Ulisses, de James Joyce. Essencialmente por se tratarem de leituras começadas e abandonadas e que merecem ser terminadas.

          6. O que estás a ler agora?
          O romancista ingênuo e o sentimental, de Orhan Pamuk






Sem comentários:

Enviar um comentário