terça-feira, 7 de maio de 2013

A poem a day keeps the doctor away

          É um pequeníssimo livro que compila doze poemas de amor de autores portugueses de diferentes épocas. Entre eles, Antero de Quental, com estas palavras certeiras. A M., que me ofereceu a colectânea há anos, mais uma vez, o meu muito obrigada!

The cool hunter

Amar! mas dum amor que tenha vida …
Não sejam sempre tímidos harpejos,
Não sejam só delírios e desejos
Duma doida cabeça escandecida …

Amor que viva e brilhe! luz fundida
Que penetre o meu ser – e não só beijos
Dados no ar - delírios e desejos –
Mas amor … dos amores que têm vida …

Sim, vivo e quente! E já a luz do dia
Não virá dissipá-lo nos meus braços
Como névoa de vaga fantasia…

Nem murchará do sol à chama erguida …
Pois que podem os astros dos espaços
Contra uns débeis amores … se têm vida?

            Antero de Quental, in Doze poemas de amor, Coleccção Centauro, Guimarães Editora, 2009 

Sem comentários:

Enviar um comentário