quinta-feira, 4 de julho de 2013

A estante dos outros (X)



Manet


         A estante do mês de Julho (também virtual) é ocupada com as escolhas literárias de João Ferreira. Licenciado em Direito e com uma longa carreira nessa área, as suas opções  reflectem o seu interesse contínuo sobre as raízes da natureza humana, o Bem e o Mal.    
      Para as ilustrar, deixo um quadro de Manet, o pintor favorito do João.

1. A primeira recordação literária que tenho é de livros sobre os nazis. Deixei-me fascinar pela maldade humana.

2. Muitos livros me marcaram, mas indico-te três um pouco ao acaso : "D. Quixote" porque é um divertido e fiel retrato da condição humana, condição na qual a realidade é vista através do véu de Maya, gerador de todas as ilusões, e que aqui é levada ao extremo da loucura. "Cartas a Lucílio", de Séneca por me dar a ver os benefícios da virtude. E "Aurora" de Nietzsche por me mostrar os malefícios da virtude.

3. Leio diariamente desde os 13 anos.

4. Não leria O Memorial do Convento.

5. Com três meses de férias, talvez lesse os "Essais" de Montaigne.

6. Estou a ler vários livros ao mesmo tempo: "O Idiota", do Dostoievsky, que nos dá o retrato de como é visto e tratado em sociedade um tipo que é bondoso e sincero. "O Mal Estar da Civilização", de Freud, que pretende demonstrar como a civilização nos torna infelizes por termos de reprimir os nossos instintos e afastarmo-nos da nossa natureza para vivermos em sociedade, e as consequências que isso tem ao nível do comportamento.. E "The Spanish Holocaust", do historiador inglês Paul Preston, sobre o extermínio levado a cabo à esquerda e à direita na guerra civil espanhola.


Sem comentários:

Enviar um comentário