sexta-feira, 4 de outubro de 2013

A poem a day keeps the doctor away - Sophia de Mello Breyner

A fotografia foi tirada pela minha Amiga Filipa Gonçalves em Marrocos

 
São tantas e tão diversas as contrariedades que minam os dias que quase esquecemos o que vem a nós sem esforço e nos faz bem. Ontem peguei numa revista por mero acaso e encontrei este poema de Sophia de Mello Breyner. Não sei quando foi escrito ou onde foi publicado originalmente. Agora que o descobri vai ficar para sempre comigo, como sucede com os poemas que encontramos no momento certo da vida.  

Escuto mas não sei
se o que oiço é silêncio
ou Deus.

Escuto sem saber se estou a ouvir
o ressoar das planícies no vazio
ou a consciência atenta
que nos confins do universo
me decifra e fita.

Apenas sei que caminho como quem
é olhado amado e conhecido
E por isso em cada gesto ponho
solenidade e risco.

Sem comentários:

Enviar um comentário