domingo, 9 de outubro de 2016

Billie Holiday, Muñoz e Sampayo



             Foi triste a vida de Billie Holiday. Marcada pela violência, pelo racismo e pelo consumo de estupefacientes. Lê-se no prefácio deste livro que, apesar disso, tinha uma alegria interior que não a abandonou. Isso não se vislumbra nesta novela gráfica, escrita em homenagem à cantora norte-americana. Está escrita de forma original e com desenhos de grande beleza, mas o que fica é a ideia de uma tristeza sem fim e de que a vida por vezes é muito injusta. Oxalá Billie tenha tido essa tal alegria interior e a sua vida tenha tido momentos felizes para contrastar com o que é narrado nesta obra.  

Sem comentários:

Enviar um comentário