terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Humilhação e Glória, Helena Vasconcelos

O primeiro ensaio que li de Helena Vasconcelos chamava-se A infância é um lugar estranho. Nele a autora analisa o papel das crianças na literatura recorrendo a algumas das mais conhecidas obras do mundo ocidental (desde Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll a Morte em Veneza de Thomas Mann). É um excelente livro que permite a quem não estudou literatura obter algumas chaves para ir mais longe na análise dos livros de que se ocupa.
         Neste Humilhação e Glória Helena Vasconcelos oferece mais um ensaio bem escrito e detalhado, desta feita sobre a evolução das mulheres ao longo da história. A história tem sido dominada e (por isso) escrita pelos homens. Mas em todas as épocas existiram mulheres que se notabilizaram e que viveram de forma diversa da que era esperada. É sobretudo delas que se ocupa este livro. É dado um especial enfoque às artes (literatura e pintura) e ciências (algo que não vi até agora muito tratado). O texto é bem documentado e vai oferecendo também lampejos da realidade portuguesa. Apesar da quantidade de informação é um livro de leitura acessível, explanado de forma clara e com as ideias chave bem construídas. As conclusões são moderadamente optimistas. O que num país que tem os números que nós temos em matéria de violência doméstica, por exemplo, é a melhor postura.  Há muito caminho para todos (homens e mulheres) desbravarmos ainda.