domingo, 26 de março de 2017

O sabor da conquista, Michael Krondl

A comida e os hábitos gastronómicos fazem parte da História. Michael Krondl que é, para além do mais, historiador culinário e debruça-se neste livro sobre as especiarias. Como chegaram à Europa e como entraram nos hábitos dos que aqui viviam. E como permanecem nos nossos dias após um período em que saíram de moda.

A narrativa começa em St Albans sob os auspícios de um viajante lendário, John Mandeville. São protagonistas privilegiados a canela, a pimenta e a noz-moscada. Os cenários de eleição são três cidades europeias que, sucessivamente, dominaram o comércio de especiarias: Veneza, Lisboa e Amesterdão. Para escrever o livro o autor deslocou-se àquelas cidades, entrevistando quem conhece o passado e o presente daquele comércio e a sua influência na vida actual. A narrativa entretece, assim, factos históricos com a modernidade. O livro tem subjacente investigação histórica detalhada (há uma extensa lista bibliográfica) e está escrito de forma clara e objectiva, completada, aqui e ali, com uma nota de humor. Debruça-se sobre o modo como venezianos, portugueses e holandeses procuraram controlar o negócio das especiarias Acima de tudo há imensa informação sobre temas que não surgem nos manuais de história habituais. Por exemplo, como era a alimentação na Idade Média, utilização feita das especiarias (ao que parece a grande maioria dos pratos era excessivamente condimentada), características alucinogénias da noz-moscada e ainda uma curiosidade interessante sobre o número de pastelarias existentes na nossa capital. 

Sem comentários:

Enviar um comentário