quinta-feira, 2 de março de 2017

Vislumbres da Índia, Octavio Paz

Vislumbres da Índia é composto por um conjunto de ensaios que Octavio Paz dedicou àquele país. O escritor foi viver para a Índia por ali ter sido colocado no âmbito da sua carreira diplomática. A estadia foi profícua para o seu percurso como poeta e ensaísta, como o próprio reconhece. Apesar de não ser um livro grande em termos de número de páginas, este conjunto de ensaios contém ampla informação sobre como temas tão diversos como a história, a organização social (designadamente, as castas), a religião e a arte indianas. Paz, naturalmente, não se limita a apresentar dados. Os ensaios são marcados pela forma como consegue ligar os elementos de informação que foi coligindo com as características da civilização ocidental e, em particular, pela forma como traça paralelos entre a Índia e o seu México natal. São ensaios escritos de forma escorreita, mas com grande profundidade. Este facto é tanto mais extraordinário quando pensamos nos vários temas que o autor aborda. Octavio Paz coloca-se como observador (o que, a meu ver, é a única posição em que a maioria dos estrangeiros que escrevem sobre a Índia se pode colocar, se quiser ser honesto do ponto de vista intelectual). Fá-lo com rigor e humildade, não pretendendo saber tudo ou ter compreendido um país que lhe era tão estranho face ao seu percurso de vida. Disso exemplo, é o que escreve sobre as castas, um tema muito complexo e de difícil apreensão. Basta ter em atenção que existem mais de 3000 castas, cada uma com os seus rituais, divindades, tabus e formas de alimentação. 
        Gostei muito de ler este livro e parece-me uma boa porta de entrada para conhecer melhor o país que o protagoniza. 

1 comentário:

  1. Olá,
    Não conhecia este livro, mas fiquei entusiasmada com esta leitura.
    Boas leituras

    ResponderEliminar