segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Enigma, História de uma mudança de sexo, Jan Morris

Jan Morris é uma das mais conhecidas escritoras de viagens da actualidade. Antes disso, formou-se em Oxford, foi soldado ao serviço do exército inglês e jornalista. Tem sido também uma viajante infatigável, tendo percorrido, em serviço ou por prazer o que parece ser o mundo todo. Neste livro relata-nos a sua vida e o caminho percorrido desde que se apercebeu que, tendo nascido com o aspecto exterior de um menino, sentia-se, na verdade, menina. Morris compreendeu cedo a sua situação. Teria, segundo escreve, cerca de três ou quatro anos. A partir daí foi tentando encontrar o seu lugar no mundo, tendo mesmo casado e sido pai de cinco filhos. Já na meia-idade, acabou por mudar mesmo de sexo, tendo sido operado pelo médico que identifica como Dr. B, em Casablanca.
 O livro está muitíssimo bem escrito, com fluidez, rigor, emoção e exposição da autora na medida necessária à compreensão do tema. A escrita de Morris surge poética em algumas descrições feitas, que nos transportam mentalmente ao local por ela descrito. Por exemplo, na descrição que faz sobre os seus mergulhos no pequeno lago de Glyders, no País de Gales “Aí podia tomar banho sozinha. Logo pela manhã trepava pelos montes acima, para o lugar onde o lago se estendia, cercado de junças, muito sereno, bem próximo de uma garganta suave. A luz era pálida e brumosa, o ar acre, e em volta de mim os montes galeses erguiam-se, azuis, à claridade matinal”. Quando se começa a ler este livro é difícil interromper, pois a escrita é tão natural que parece estármos a ter uma conversa com a autora na sua casa em Gales, bebendo uma chávena de chá, enquanto nos relata a sua vida. E tal sensação não é afastada quando intuímos a solidão e momentos de sofrimento que viveu, por força da transexualidade (apesar da própria autora reconhecer que a sua vida foi muito mais feliz e acompanhada que a de outras pessoas que enfrentaram e enfrentam a mesma situação).
A transexualidade é um tema que raramente surge tratado na literatura a que o grande público tem acesso. Só por si esta edição já merece destaque (a edição inglesa original data da década de 70 do século passado). Mas, para além do interesse específico do tema, Morris consegue ir ainda mais longe. Mesmo quem vê a transexualidade de fora encontra aqui ampla matéria de reflexão. Sobre aquela, claro. Mas também sobre o modo como nos percepcionamos, a diferença entre género e sexo, de que forma este último nos define e o verdadeiro sentido do amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário