domingo, 27 de agosto de 2017

Histórias Etíopes, Manuel João Ramos

Por estes dias, a temperatura na capital da Etiópia ronda os 17ºC. A humidade situa-se pelos 86%. Adis Abeba dista de Lisboa cerca de 12 horas de voo, sem contar com os tempos de pausa, pois não há ligação directa. Juntem-se as dificuldades do fuso horário e as inerentes a equacionar eventuais perigos da viagem e talvez a deslocação ao reino atribuído a Preste João das Índias não possa ser decidida e levada a cabo por impulso.
E, no entanto, a Etiópia, destino que pode parecer improvável num primeiro momento, está longe de ser uma terra estranha para os portugueses. A improbabilidade assenta não apenas na lonjura, mas também no carácter trágico da história recente deste país. Mas um povo é sempre muito mais do que as suas tragédias. E é isso que este livro de Manuel João Ramos, antropólogo, nos permite descobrir. 
O Preste João pode nunca ter existido. Mas as rainhas cristãs, que receberam os nossos antepassados quando estes ali chegaram no século XVI, não são ficções, mas personagens verdadeiras. É sobre elas e sobre a presença dos portugueses naquele país africano que incide esta obra de Manuel João Ramos. Mas não só. Pela sua escrita e pelos seus desenhos visitamos diversas cidades daquele país africano, conhecemos figuras do seu povo, passeamos pelo passado e pelo presente da Etiópia, guiados por narrativas orais que sobreviveram ao tempo. No final, fica um sentimento de proximidade de que não suspeitava quando iniciei esta leitura. E uma certa vontade de um dia, quem sabe, aventurar-me a tomar um avião com rumo a Adis Abeba. 

Sem comentários:

Enviar um comentário